Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

http://palavrasesentidos.blogs.sapo.pt


Sábado, 11.01.20

Paul Mauriat - Taka Takata

     Grande orquestra, uma das referências da minha vida

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por palavrasesentidos às 11:15

Sexta-feira, 10.01.20

Sentir-se jovem - Juca Chaves

Belo poema dito por Juca Chaves

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por palavrasesentidos às 18:31

Sábado, 28.12.19

Viagem ao Minho

    Uma viagem maravilhosa ao lindo Minho, visitando os pontos mais emblemáticos

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por palavrasesentidos às 09:01

Domingo, 15.12.19

Guilhermina Suggia

No dia 27 de Junho de 1885 nasceu no Porto, a violoncelista portuguesa Guilhermina Suggia, que pôs “de joelhos” os palcos e a crítica de todo o mundo nas primeiras décadas do séc. XX.
Em criança, tomou a decisão de ser a primeira violoncelista profissional. Tinha aprendido violoncelo com o pai, que era violoncelista no Teatro de São Carlos e professor no Conservatório de Música de Lisboa. Aos 13 anos, Guilhermina foi ouvida pelo grande Pablo Casals, que aceitou ser seu professor. Mais tarde, Casals e Suggia passaram a viver juntos, reunindo, como casal, os dois expoentes máximos do violoncelo. Aos 15 anos foi estudar para o mais conceituado conservatório da Europa (Leipzig), com uma bolsa concedida pela Rainha D. Amélia. Depois, teve uma vida que fez uma história fascinante.
Julius Klengel, célebre e exigente professor do Conservatório de Leipzig, não hesitou em dizer que Guilhermina “cheia de talento, conhecedora de todos os segredos do violoncelo, começa a subir e há-de ir tão alto que ninguém a atingirá”. E a profecia cumpriu-se. Guilhermina Suggia passou a ser reconhecida como incomparável, adorada como exímia e venerada como sublime na arte do violoncelo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por palavrasesentidos às 14:02

Domingo, 15.12.19

43º Festival do Circo de Monte Carlo

Este ano foi de particular beleza e magia, desde a qualidade dos artistas até ao magnífico guarda roupa apresentado. Parabéns ao nosso artista, César Dias, que tão bem nos representou e pela sua atuação ganhou um palhaço de bronze.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por palavrasesentidos às 09:49

Quarta-feira, 04.12.19

Natal 2019 John Lewis

Os anúncios de Natal da John Lewis e da M&S foram ambos publicados em novembro deste ano na plataforma Youtube. Desde que foi lançado o vídeo da John Lewis já foi visto mais de 9 milhões de vezes.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por palavrasesentidos às 12:16

Sábado, 24.08.19

A moleirinha - Guerra Junqueiro

Pela estrada plana,

Guerra Junqueiro (1850 - 1923)
(Do livro de leitura da 4ª classe de 1951)

Pela estrada plana toc, toc, toc
Guia o jumentinho uma velhinha errante
Como vão ligeiros, ambos a reboque,
Antes que anoiteça, toc, toc, toc
A velhinha atrás, o jumentinho adiante!...

Toc, toc, a velha vai para o moinho,
Tem oitenta anos, bem bonito rol!...
E contudo alegre como um passarinho,
Toc, toc, e fresca como o branco linho,
De manhã nas relvas a corar ao sol.

Vai sem cabeçada, em liberdade franca,
O jerico ruço duma linda cor;
Nunca foi ferrado, nunca usou retranca,
Tange-o, toc, toc, moleirinha branca
Com o galho verde duma giesta em flor.

Vendo esta velhita, encarquilhada e benta,
Toc, toc, toc, que recordação!
Minha avó ceguinha se me representa...
Tinha eu seis anos, tinha ela oitenta,
Quem me fez o berço fez-lhe o seu caixão!...

Toc, toc, toc, lindo burriquito,
Para as minhas filhas quem mo dera a mim!
Nada mais gracioso, nada mais bonito!
Quando a virgem pura foi para o Egipto,
Com certeza ia num burrico assim.

Toc, toc, é tarde, moleirinha santa!
Nascem as estrelas, vivas, em cardume...
Toc, toc, toc, e quando o galo canta,
Logo a moleirinha, toc, se levanta,
Pra vestir os netos, pra acender o lume...

Toc, toc, toc, como se espaneja,
Lindo o jumentinho pela estrada chã!
Tão ingénuo e humilde, dá-me, salvo seja,
Dá-me até vontade de o levar à igreja,
Baptizar-lhe a alma, prà fazer cristã!

Toc, toc, toc, e a moleirinha antiga,
Toda, toda branca, vai numa frescata...
Foi enfarinhada, sorridente amiga,
Pela mó da azenha com farinha triga,
Pelos anjos loiros com luar de prata!

Toc, toc, como o burriquito avança!
Que prazer d'outrora para os olhos meus!
Minha avó contou-me quando fui criança,
Que era assim tal qual a jumentinha mansa
Que adorou nas palhas o menino Deus...

Toc, toc, é noite... ouvem-se ao longe os sinos,
Moleirinha branca, branca de luar!...
Toc, toc, e os astros abrem diamantinos,
Como estremunhados querubins divinos,
Os olhitos meigos para a ver passar...

Toc, toc, e vendo sideral tesoiro,
Entre os milhões d'astros o luar sem véu,
O burrico pensa: Quanto milho loiro!
Quem será que mói estas farinhas d'oiro
Com a mó de jaspe que anda além no Céu!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por palavrasesentidos às 08:13

Segunda-feira, 05.08.19

O Rei Leão 25 anos depois

Género: Aventura

Data de estreia: 17/07/2019

Título Original: The Lion King

Realizador: Jon Favreau

Actores: Donald Glover, Beyoncé Knowles-Carter, James Earl Jones

Distribuidora: NOS Audiovisuais

País: EUA

Ano: 2019

Duração (minutos): 118

Sinopse:

Simba idolatra o pai, o rei Mufasa, e leva a sério o seu próprio destino real. Mas, nem todos no reino celebram a chegada da nova cria. Scar, irmão de Mufasa, e ex-herdeiro do trono, tem os seus próprios planos. A batalha pela Pedra do Reino é marcada pela traição, tragédia e drama, resultando no exílio de Simba. Com a ajuda de um curioso conjunto de novos amigos, Simba terá que descobrir como crescer e recuperar o que é seu por direito. O elenco na versão original inclui estrelas como Donald Glover no papel de Simba, Beyoncé Knowles-Carter no de Nala, James Earl Jones interpreta Mufasa e Chiwetel Ejiofor no papel de Scar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por palavrasesentidos às 19:47

Quinta-feira, 25.07.19

O rei e eu - The march of the siamese children

O

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por palavrasesentidos às 22:01

Quinta-feira, 25.07.19

O rei e eu com Yul Brynner and Deborah Kerr "Shall We Dance"

Maravilhoso filme de 1956 de Walter Lang

Em 1862 uma jovem viúva, Anna Leonowens (Deborah Kerr), acompanhada do filho Louis (Rex Thompson), chega em Bangcoc, no Sião, onde foi contratada como professora dos filhos do monarca (Yul Brynner). Entretanto o comportamento dos súditos e a forma que o rei Mongkut faz para impôr sua autoridade criam um choque cultural, no qual se ambos os lados não cederem a convivência será impraticável.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

por palavrasesentidos às 21:41


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2020

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031